domingo, 8 de outubro de 2017

Campanha contra a agressividade entre as torcidas de futebol


A GALERA E A PAZ 


Vem entrando
Os times no campo.
As camisas se mostram,
As bandeiras se embalam,
A paz rola
E a galera vibra.

 O juiz apita.
É o início do show.
Jogadores se espalham,
A paz explode,
O ôla se forma,
A paz é o que rola
e a galera agita! 

Chuteiras 
desfilam com classe.
O peixinho,
 o drible,
uma cabeceada bate na trave...
A paz ainda rola
e a galera vibra.

 O artilheiro
Com encanto de rei
dá um carrinho,
chuta
 e cospe um golaço.
e a galera grita!

 O choro do adversário
se percebe nas caras tristes.
– Córner! – A bola voa e golapa!
A paz comemora
e a galera vibra!

 Fim do jogo.
Empate.
 Emoção e alegria.
O futebol é o grande show.
Quem vence é a paz!
E a galera... “brilha.”

DENISE ALMEIDA
Rio de Janeiro, 2017 


Ilustração Danilo Marques                                                                             

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

UMA AULA ESPECIAL

Vamos homenagear os professores dramatizando esta gostosa história em versos?


A história que vou contar,
eu ouvi há muito tempo.
Quem contou foi Dona Júlia,
professora de talento.

Ela chegou na escola
e formou  sua garotada,
e falou para as crianças:
— Hoje estou muito animada!

E levou sua turminha
até a sala de aula.
Um aluno reclamou:
— Como está quente essa sala!

Era um dia de sol,
fazia muito calor
e ela mais do que depressa
Ligou o ventilador.

— Tia Juju, o Manduca
tá me dando beliscão!
— Ai, meu Deus, eu mal cheguei
e já tem reclamação...

— O que é que houve, Manduca?
Perguntou com calma a tia.
— É que ela se sentou
no lugar que eu queria!

— Pense bem e me responda,
se este lugar é legal,
não tem a colega o direito
de escolhê-lo afinal?

— Tudo bem! – disse  o Manduca,
escolhendo outro lugar,
pendurou sua mochila
e não parou de resmungar!

— Atenção querida turma
hoje vamos conversar
sobre a Zona Rural
sei que vocês vão gostar!

Nesse instante um menino,
falou com alegria total:
— Meu caderno é uma zona,
só não sei se é rural.

Gargalhada foi geral.
Não paravam “de zoar”,
mas a tia logo disse:
— Silêncio que eu quero explicar!

— Frederico, meu amigo,
zona também pode ser
uma bagunça total,
como tu sabes fazer.

Mas “Zona Rural” é o lugar
onde  predominam
atividades agrícolas
e este tema me fascina.

É lá também que se faz
criação de animais.
Tem espaço, tem bom pasto,
tem ar puro e muita paz.

A Zona Rural é tão linda...
fica longe da cidade
e lá, geralmente, mora
gente humilde e sem maldade.

De repente um aluno
entrou na sala alarmado:
— Tia, eu fui viajar,
por isso cheguei atrasado.

— Muito bem, Oswaldo César,
que legal a novidade!
Nos conte onde foi o passeio.
Causaste curiosidade!

— Fui pro sítio do Tio Zeca,
brinquei até me acabar!
Por lá tudo é diferente.
Que beleza de lugar!

— Mas que grande coincidência,
que me causa até espanto,
pois imagine você,
que falávamos do campo.

Um aluno menorzinho,
quis a tia corrigir:
— A senhora já falou
que a gente não deve mentir!

Deu um nó na minha cabeça,
fez mistura igual mingau,
pois pra mim o nosso  assunto,
era a tal Zona Rural!

— Mas Pedrinho, meu querido,
deixa a tia explicar:
a Zona Rural e o campo
referem-se ao mesmo lugar.

Conte então, Oswaldo César,
pra todo mundo escutar.
Como foi o seu passeio?
Fale um pouco do lugar.

— Meu passeio foi demais!
Caminhei muito na roça.
O meu tio me levou
pra passear de carroça.

Também andei de cavalo,
mas não levo jeito algum.
Quem não está acostumado
fica com dor no bumbum.

Como sempre, os colegas
riram muito sem parar...
e a tia pediu silêncio
para o amigo continuar.

A gente vê muitos pastos!
O mato é verde por demais!
E ali ficam pastando
vários tipos de animais.

Tem coelho, tem vaquinha,
tem cabra com  cabritinhos.
E no terreno da casa
tem galinha com pintinhos.

O porquinho da Tia Lica
fica preso no cercado.
Ele come qualquer coisa
e não fica enfastiado.

Toda casa que eu ia,
tinha um fogão diferente
com fornalha e chaminé.
Costume daquela gente.

A comida, uma delícia!
Alimento bem fresquinho.
Legumes tirados da horta,
fubá feito no moinho.

As estradas são de terra,
tudo muito natural...
e os rios cheios de peixes
uma coisa sem igual!

Tio Juca tem um cão
que é batuta e esperto.
Ele sempre late muito
quando tem caça por perto.

A minha mãe prometeu
que nós vamos voltar lá,
mas já estou com saudades...
Gostei muito do lugar.

— Que beleza de relato!
Adorei a descrição!
 Agora vocês compreendem
o porquê da minha paixão!

— Tia Juju, disse o Junior,
Também “tô” apaixonado!
Que legal que é o campo,
parece um lugar encantado.

— É uma vida saudável,
mas também não é moleza.
Levam a sério o trabalho,
conservam a natureza.
E para verificar
se aprenderam a lição,
eu proponho a toda turma
que faça uma redação.

Escrevam o que entenderam
 E o que acharam legal.
Desenhem como imaginam
que é a Zona Rural.

E as crianças contentes,
escreveram de montão,
desenharam à vontade
usando a imaginação.

Quando a aula terminou,
ela disse: — Está na hora!
Arrumem as suas coisas
e já podem ir embora!!!

Com essa história, homenageio
a todo bom professor,
dedicado, criativo,
que trabalha com amor.

Pois ser professor não é mole,
mas dá um imenso prazer:
ensinar à criançada
e com ela aprender!

Liberdade??? - Poesia para reflexão de alunos do Segundo segmento do Ensino Fundamental


  LIBERDADE???


Já raiou a liberdade!
A liberdade em versos mil...
Onde foi que ela raiou?
Dizem que  foi no Brasil.

Já raiou a liberdade !
Homens livres para  escolher:
Morar com dignidade
Ou de balas se esconder…

Já raiou a liberdade!
Todos têm opção:
Mesa cheia de alimentos
Ou vazia, até sem pão!

Já raiou a liberdade!
Que com prazer anuncio.
Um povo no frio aquecido.
Ou nas ruas passando frio?

Já raiou a liberdade !
Igualdade e harmonia!
Não há mais discriminação,
Tudo é pura sinfonia!

Já raiou a liberdade !
O povo já  pode escolher:
Prefere roubar um remédio?
Ou “honestamente” morrer?

Já raiou a liberdade !
É o que o povo queria!
A democracia chegou.
O que é mesmo “democracia”?

Já raiou a liberdade !
Todos livres pra votar!
Votar em quem? Isso não importa…
Importante é participar.

Já raiou a liberdade!
A liberdade já raiou…
E então… nas asas de um pássaro…
Para longe de nós… voou.

Ou ficar a Pátria livre...
Ou morrer pelo Brasil

DENISE ALMEIDA


Arte retirada do Blog "E viva a Farofa!"
http://evivaafarofa.blogspot.com.br/2016_04_08_archive.html
Em 05/10/2017



                                  

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Soninho - Poema para Educação Infantil.


Com uma leve musiquinha
bailando solta no ar,
eu deito depois do almoço
Para poder descansar.

Penso então nesse instante

nas coisas boas da vida:
nas pessoas que eu amo,
na minha praia preferida...

Carneirinhos pulam cerca
como bolas de algodão.
Alguém me conta uma história...
Dormir assim é tão bom!

Eu sonho que estou voando
Ou nadando no fundo do mar...
Isso é bom pro meu corpinho
Que precisa relaxar.

Quando acordo do soninho,
volto então pra brincadeira.
Agora, com mais energia,
vou correr a tarde inteira!


Retirado do livro: ESSA VIDA DE CRIANÇA NÃO É MOLE
Livro de poemas do cotidiano infantil
Autora: Denise Almeida

quinta-feira, 4 de junho de 2015

HISTÓRIA BOA DE SE CONTAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

História encantadora que fala sobre a ingenuidade da pequena gansa e das más intenções do raposo. 
Na rodinha de leitura podemos perguntar para as crianças que outros animais não possuem "orelhinhas" como a gansa e também jogar para o grupo a seguinte pergunta: Será que os animais que não possuem orelhas não podem ouvir?
Veja que interessante descobri numa pesquisa:
"... Nem sempre os animais "ouvem" pelos ouvidos. Dependendo do animal, outros sentidos fazem às vezes da audição. O animal percebe o que acontece em seu ambiente muito mais pelo cheiro e pelas vibrações. Também usa os olhos, que às vezes são mais de dois, moscas por exemplo, tem pseudo olhos na pele. Captam o movimento e se orientam por ele. Formigas têm antenas que dão a elas informações químicas do que precisam saber. Você pode pesquisar mais a respeito em sites de biologia que falam de "etologia": comportamento animal. No Google você encontra."  Resposta de Olívia no Yahoo Respostas.


SINOPSE: Quando o raposo lhe diz que suas orelhas estão perdidas, a gansa fica toda preocupada. Onde será que suas orelhas podem estar? Então ela encontra o pavão, que por acaso estava vendendo orelhas. Que sorte. A gansa fica tão empolgada que não nota as orelhas pontudas, o rabo peludo e os dentes bem afiados daquele pavão. Será que os amigos da gansa vão salva-la daquele truque malvado?


domingo, 31 de maio de 2015

Sociedade Educacional Universidade da Criança

Palestra sobre a importância da contação de histórias na sala de aula.

Como trabalhar a interpretação de um texto de maneira lúdica.




Contação de histórias na Girassol Creche Escola




Projeto da E. M. São Camilo: CARIOCAS DE VALOR - Rio 450 Anos

Eu e Zeca do Trombone fomos homenageados pelos alunos e toda equipe da Escola Municipal São Camilo.
Foi uma manhã maravilhosa com várias apresentações realizadas pelas crianças. Parabéns a toda equipe que elaborou o projeto e promoveu esta manhã tão agradável.



A Misteriosa Caixa do Contador de Histórias - I

PROFESSORES ESCRITORES SEMEIAM LIVROS

Entrevista feita por Sandra Machado para a MULTIRIO


http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/leia/reportagens-artigos/reportagens/519-professores-escritores-semeiam-livros


Aprender a Ser: "É IMPOSSÍVEL SE APRENDER COM MEDO"...